11 cimentos e uma construção!

A construção de uma casa, um prédio residencial ou comercial vai muito além do projeto. É necessário atenção nos materiais que serão sua base. O uso de matéria inadequada pode causar problemas e até arriscar a vida dos frequentadores do futuro.

Um dos itens mais importantes na construção é o cimento. Apesar de parecer uma escolha simples e sem muitas opções, o material definitivamente não é tudo igual. Isso já pode ser notado logo nas embalagens, com as diferentes siglas nele impresso.

No total, existem hoje cerca de 11 tipos de cimento utilizados na construção civil e cada um deles tem uma aplicação específica.

1.CP I – Cimento Portland Comum

O mais simples dos cimentos é utilizado para obras normais, que não possuem exigências específicas. Ou seja, obras sem exposição frequente à água, esgotos e também a maresias. 

Este tipo é de menor resistência, tendo sua produção direcionada para a indústria. 

2.CP I-S Cimento Portland Composto 

Possui gesso como aditivo e uma pequena adição de material pozolânico em sua composição. Este último garante menor permeabilidade ao material.

3.CP II-E Cimento Portland composto com escória

Este cimento é considerado como intermediário entre os dois anteriores. Sua composição é formada por 35% a 70% de alto-forno.  Ele é utilizado em materiais que não liberam muito calor.

4.CP II-Z Cimento Portland composto com pozolana

Assim como o CP I-S, possui pozolana e é indicado para obras subterrâneas ou que fiquem em constante contato com líquidos. Além do material pozolânico, pode ter 10% de fíler. 

5.CP II-F Cimento Portland composto com fíler

Tem em sua composição uma adição de 6% a 10% de material carbonático. Este tipo de cimento é normalmente usado em aplicações gerais como concreto simples, armado, pisos e pavimentos de concreto e também elementos pré-moldados. 

6.CP III Cimento Portland de alto forno

Recomendado para obras pesadas como barragens, pontes, esgotos, fundação para máquinas, este cimento tem como vantagem a durabilidade, resistência às variações de temperatura e baixo calor de hidratação. 

7.CP IV Cimento Portland Pozolânico

Devido a grande quantidade de pozolana em sua composição, cerca de 15% a 50%, sua duração é amplificada. Além disso, ele tem alta impermeabilidade e boa resistência a ambientes ácidos e de contato com sulfato. O cimento é recomendado para obras com água corrente.  

8.CP V-ARI Cimento Portland de alta resistência inicial

Assim como o comum, o CP V não possui aditivos em sua fórmula. Este modelo é indicado para fabricação de concreto e seu método de fabricação dosa argila e calcário de forma diferenciada.

9.CP RS Cimento Portland resistente a sulfatos

Por ser resistente a sulfatos, este tipo é ótimo para obras ricas neste composto. 

10.CP BC Cimento Portland de baixo calor de hidratação

Tem boa durabilidade de estrutura e evita o surgimento de fissuras. O cimento BC é recomendado para obras de grandes temperaturas.

11.CPB Cimento Portland Branco

De coloração branca, como o próprio nome já diz, ele pode ser customizado de acordo com cada obra. Ele é muito utilizado como rejunte. 

Ufa! São tantas as opções e aplicações que é preciso muita atenção. 

Não jogue o PVC fora

Comprar um produto é legal, mas fazer você mesmo é melhor ainda. Além de poder deixar o item do jeitinho que você gosta, tem também a parte da exclusividade e claro, do reaproveitamento de material e economia.

Ok, a parte da economia também é muito bom, né?! 

Se você acompanha o nosso blog, o que sabemos que você faz, já deve ter lido nosso post sobre decoração industrial. O conceito, que é a mais nova febre dos apaixonados por decoração, traz a combinação do rústico e do elegante, transformando os ambientes em modernos. 

Apesar de parecer difícil e complicado, saiba que é possível, com apenas algumas mudanças, trazer um toque deste estilo para sua casa. Itens feitos de metais e madeiras são sua marca registrada. 

Para nosso projeto de hoje, escolhemos um dos itens mais importantes do banheiro: o suporte de toalhas. Para começar, será necessário:

Uma prateleira de madeira do tamanho desejado, indicamos de 60 a 70 cm;

Uma peça de cano PVC de 35 cm;

Dois canos de 90 graus, para colocar nas laterais;

Adaptador com Flange;

Furadeira.

O primeiro passo é medir a madeira e deixar uma borda de 3 a 4 centímetros. Após isso, com ajuda de uma furadeira, faça um furo em cada ponta, do tamanho da circunferência dos canos, conhecidos como joelhos.

Depois, encaixe os canos, em formato de 90 graus nas laterais na peça principal. Após esse passo, coloque-o sob a madeira e junte a prateleira de madeira, formando a base.

No final, coloque o adaptador com flange e pregue-o na parede. Agora é só encaixar sua prateleira!

Equipamentos domésticos e a tecnologia Inverter

Escolher um eletrodoméstico pode ser bem complicado nos dias atuais. Não que isso seja ruim, longe disso, afinal, quanto mais tecnológico, mais benefícios e praticidade para seus futuros usuários.

Antes de comprar um aparelho, é importante listar o que é prioridade pra você. Tamanho do objeto, consumo de energia e até a cor, podem ser fatores que irão pesar na decisão. Afinal, não adianta ser bonito e não funcionar como você esperava, não é mesmo?

Se o fator economia de energia é importante pra você, então você deve optar por um aparelho inverter. Tá, mas o que é essa tecnologia e quais suas vantagens?

O inverter é uma tecnologia que controla o fluxo de energia. Trata-se de um tipo de compressor que consegue operar de forma contínua, estável e sem oscilações, ou seja, que não precisa ligar e desligar durante o funcionamento. 

Se presente em um aparelho de ar-condicionado, as vantagens do inverter são: 

Economia de até 60% de energia 

Restauração adequada do ambiente

Mais silencioso

Já nos refrigeradores, os benefícios são:

Economia de até 40% de energia

Menos ruído

Maior durabilidade 

Melhor desempenho que os outros modelos

Apesar de a palavra economia encher os olhos, os aparelhos que dispõe desta tecnologia não são muito baratos. Os valores podem variar de acordo com a marca e o modelo, mas normalmente são encontrados a partir de R$ 2.700,00.

Decoração industrial. E agora quem poderá me ajudar?

É quase impossível que você ainda não tenha ouvido falar da decoração estilo industrial. O assunto está presente nos projetos de arquitetos, naquela pastinha no Pinterest e até nos grupos de design ou faça você mesmo nas redes sociais.

Para esclarecer mais sobre esse tipo de decoração, que foi inspirada em antigos galpões e lofts nova-iorquinos, trouxemos algumas das várias características que fazem o espaço ser considerado industrial. 

Tijolos e concretos expostos

Essa é uma das características-chave deste modelo. O contraste entre o moderno dos móveis e o rústico das paredes, dão o equilíbrio necessário para o espaço. Na sala, as opções mais populares de combinação são com objetivos de materiais naturais, como madeira, tecidos de algodão e lã. 

Espaços livres

Esqueça a parede ou qualquer material que possa dividir o ambiente. No estilo industrial, a regra é espaço aberto. Isso mesmo, o conceito principal é ser funcional e amplo. 

Chega de esconder canos e vigas

Pois é, ao contrário dos outros, aqui é permitido que encanamentos e vigas fiquem aparentes. Assim como os tijolos e concretos, o contraste cria uma atmosfera moderna, elegante e urbana. 

Se você ficou interessado e também quer trazer um pouco do estilo industrial para sua casa, saiba que com apenas alguns acessórios isso pode se tornar realidade. Não quer quebra-quebra, mas adorou a ideia de tijolo à mostra? Um papel de parede pode criar o efeito desejado.

Já nos itens de decoração, busque por luminárias e bancos de metal. Quadros com núcleos vibrantes e molduras de madeira também são uma ótima escolha.

E vamos de: Entender sobre cortinas!

A cortina é um daqueles itens que tem várias funções. Além de impedir a entrada de luz, ela também faz parte da decoração e pode deixar o ambiente mais elegante, moderno e até mais estiloso.

São diversos modelos e tecidos disponíveis no mercado. Os clássicos, que são feitos de tecidos e fixados em trilhos ou varões. Os mais pesados, que tem detalhes como barrados, bandos e pingentes, necessitando de varões duplos. E por último, as persianas, que estão disponíveis em diversos tipos de material, variando de acordo com o gosto de cada um.

Mas e você, sabe qual é o modelo mais indicado para cada espaço? 

Se for para a cozinha, os varões são a escolha mais comum. Feitos de materiais como metal ou madeira, com argolas ou alças, essa opção é prática e fácil manutenção. A persiana é uma outra opção. O item traz elegância e pode ser encontrado nas versões horizontal ou vertical, com lâminas de madeira, PVC e até metálicas. 

Para o quarto, os modelos blackout são perfeitos. Além de garantirem a proteção contra os raios solares logo de manhã, eles também trazem a modernidade ao ambiente. Opte por cores neutras, acabamentos de metal ou madeira. Não esqueça de medir corretamente, normalmente elas cobrem do teto até o chão. 

Já na sala, são indicados modelos com tecidos de voil. Por serem mais leves, eles dão sensação de caimento e elegância para o ambiente. Algodão e seda também são ótimas sugestões. 

Um diazão desse, um sofazinho novo…

A procura por um móvel pode ser exaustiva. São vários detalhes que necessitam de atenção e também de muita pesquisa. Você sabia, por exemplo, que além da quantidade de lugares e tamanho, um sofá também se difere pela densidade?

Pensando em facilitar a sua busca, nós trouxemos aqui algumas dicas pra você não errar na hora de comprar o móvel que é a peça chave da sua sala. 

Antes de tudo, é necessário saber exatamente a medida do seu espaço. Apesar de estarem descritos como sofás de dois, três ou quatro lugares, a diferença no tamanho pode atrapalhar os seus planos.

Existem, por exemplo, sofás de dois lugares que podem variar entre 1,80m até 2,60m. Por isso, atenção na medida. Depois disso, você pode começar a pensar em qual é o seu modelo preferido. 

Os tipos mais comuns encontrados no mercado são:

Tradicional Reto – Um clássico que nunca sai de moda e também um dos mais acessíveis. 

Retrátil e/ou reclinável – Para este tipo é necessário prestar muita atenção no espaço disponível. O modelo é muito confortável, está em alta e é perfeito para salas que são ao mesmo tempo de TV e também de estar. 

Formato L – Este sofá é indicado para quem quer aproveitar o canto. O formato, como o próprio nome já diz, forma uma letra L e faz com que o modelo otimize o espaço. 

Sofá-Cama – O clássico das casas de quem adora receber uma visita. Ele é como outro sofá, porém comporta uma cama dobrável, ou seja, de dia um modelo normal e, à noite, um espaço confortável para acomodar amigos e família.

Se você está na procura por conforto e durabilidade, é importante pesquisar a densidade do sofá. Na hora da compra, se atente a indicações como D28 e D33, por exemplo. Essa sigla representa a densidade da espuma e pode ser a peça chave para uma experiência mais agradável.

Normalmente a escolha deve ser feita de acordo com o quanto de peso o móvel suporta. Isso irá interferir também na durabilidade do produto. Por exemplo, um sofá com densidade D33, é indicado para pessoas com peso entre 71 kg e 100 kg. Os modelos D23 tem um preço bem mais baixo, porém pode se desgastar em menos tempo, suportando pesos de mais de 70 kg. 

As cores também podem interferir na composição da parte visual do seu ambiente. Se em espaço pequenos, opte por cores neutras, que dão a sensação de profundidade. Branco, bege, marfim e cinza claro são algumas delas. 

Se você gosta de tons mais fortes, aposte em tons quentes e neutros. Se você mora com crianças ou pets, os modelos de cor escura podem ser uma ótima opção para evitar manchas e esconder sujeiras. 

Por fim, para garantir a durabilidade do móvel, alguns cuidados não podem ser deixados de lado. Se possível, busque um serviço especializado para uma lavagem profunda a cada seis meses. A impermeabilização do sofá também ajudará a evitar danos.

No dia a dia, uma limpeza feita com aspirador de pó ou pano umedecido pode ser o suficiente. 

As vantagens da construção modular

É fato que as construções não são mais como antigamente. São diversos novos materiais disponíveis no mercado e também novas técnicas, cercadas de ajuda tecnológica, como a construção modular.

O modelo faz parte de um novo processo construtivo dos pré-moldados e pré-fabricados. Dentro dessa prática, as peças da estrutura já vem montadas. Apesar de novo, são muitos os benefícios deste tipo de construção. Para vocês entenderem melhor, trouxemos vantagens sobre o modelo.

Mais rápido

Em vez de demorar meses e até anos de trabalho, com este tipo de produto, os projetos são concluídos com mais rapidez. Isso ocorre pelo fato de que a construção modular acontece ao mesmo tempo que o trabalho é feito no local.

Mais segurança

A técnica reduz  os riscos de acidentes aos trabalhadores durante as obras.

Menos resíduos

O processo da construção modular gera menos resíduos.

Custo Reduzido

De acordo com o site Autodoc, a construção modular reduz a geração de entulhos e o desperdício de materiais em até 1/3, o que também contribui para a redução de custos.

As névoas da cozinha!

Há diversos privilégios em viver em um século com tanta tecnologia. São robôs que fazem a limpeza da casa sozinhos, eletrodomésticos com melhor performance e até opções para tirar aquela fumaça e o cheiro horrível de fritura da casa.

Se você mora em uma casa com grandes janelas, talvez não tenha que lidar tanto com esse problema. Já os que moram em apartamentos pequenos, não tem esse sorte. Independente de esses grupos você se encaixa, temos certeza que as coifas podem ajudar.

Os aparelhos ajudam na eliminação de odores do meio ambiente. Colocados em cima do fogão ou cooktop, eles podem ser encontrados em quatro modelos:

Embutido

O estilo embutido é para quem prefere que o item passe despercebido no meio ambiente. A peça aparece de forma bem discreta, fazendo parte da decoração.

Suspensas

Este modelo é perfeito para quem gosta de um estilo mais moderno. Colocados, assim como o nome sugere, de forma suspensa, ele consegue trazer elegância para a cozinha.

De parede

Talvez esse seja o mais tradicional entre os outros. Instalados bem próximo a parede, pode ser encontrado em diversas versões, dos pequenos aos gigantes.

Ilha

Popular nas cozinhas norte-americanas, um coifa ilha é indicada para os balcões que ficam no meio da cozinha.

E essa paredinha sem graça ai?

O mundo da decoração é cheio de novidades. O mais bacana disso, é que não é preciso gastar muito para acompanhar certas tendências. Com o crescimento do estilo DIY – faça você mesmo -, ficou ainda mais fácil mudar espaços.

Talvez você ainda não conheça essa técnica, mas podemos afirmar que ela é simples de usar. O Stencil para parede é usado para aplicar um desenho ou ilustração em alguma superfície, como a parede.

Para sua aplicação, há a opção de usar tinta ou aerossol. Como núcleos são por sua conta. Tem quem adora um tom pastel e também o que amam um cor mais viva. A transferência da coloração é feita através do corte ou perfuração em papel ou acetato.

Apesar de fácil, é necessário atenção na hora da pintura. Por ser feito com papel, é preciso garantir que o molde esteja na posição certa, afinal, ninguém quer um desenho torto na parede, não é?

Se você é aqueles que gostam de fazer tudo, então pode criar o próprio molde com apenas quatro itens: água sanitária; caneta para CD; desenho escolhido para o estêncil; e chapa de radiografia. Já se a escolha é por praticidade, eles estão disponíveis em diversas lojas, em vários modelos.

Kooktop ou fogão: Onde cozinhar?

Os eletrodomésticos para a cozinha estão cada dia mais modernos. Com a intenção de facilitar ainda mais a vida das pessoas, esses itens contam com novas tecnologias que deixam tudo mais simples.

O fogão, conhecido como o coração desse ambiente, também deve ser escolhido com cuidado. Você sabe quais são as diferenças, por exemplo, do convencional para o famoso cooktop: Tem muita gente que não conhece. Por isso, trouxemos algumas informações sobre cada um para você entender melhor.

Cooktop

Esse modelo é ótimo para quem quer economia de espaço e um design moderno. Com opções a gás, elétrico e por introdução, ele é fácil de instalar e também de limpar. Uma das poucas desvantagens no produto é a falta de um forno. Ao contrário do convencional, essa parte é vendida separadamente, podendo ser encontrada a gás e elétrico.

Fogão

O rei do mercado, é o clássico da cozinha brasileira. De fácil – ou quase nenhuma – instalação, ele é encontrado na versão a gás, com acendimento automático e, diferente do cooktop, vem com forno embutido. O custo-benefício também é um diferencial do modelo.

Antes de decidir qual a melhor escolha para sua casa, pense muito no espaço, se há necessidade de um forno a gás, valor que quer investir e também na decoração que você quer para sua cozinha.