Economia demais pode acarretar em enormes custos extras no longo prazo

No setor de construção, podemos dizer que, financeiramente, o céu o limite. Você encontra, por exemplo, uma torneira para banheiro por R$ 50, mas também por R$ 2 mil. Assim, em casos de necessidade de economia, é importante saber da onde é possível cortar custos e quais áreas precisam de um investimento extra para evitar dores de cabeça no futuro.


O primeiro detalhe em que você deve desprender um pouco mais de dinheiro é no projeto. Um desenho mal feito ou pouco detalhado vai gerar confusão durante a empreitada, exigindo a correção do serviço. Isso sempre acaba em custos maiores aos clientes e, claro, muita irritação. 


A equipe que irá realizar a obra também é fundamental. Não há nada pior do que ter possuir uma ideia super bacana, finalizar o projeto e, poucos meses depois, notas rachaduras, trincas ou um funcionamento inadequado da parte elétrica. Assim, contrate arquitetos, engenheiros e pedreiros de qualidade, que vão reproduzir o planejamento corretamente. Evite também os famosos “faz-tudo”. Geralmente, o serviço é bem mediano e caro.


Por mais que a pessoa queira mudar logo para a nova casa ou utilizar o imóvel rapidamente, acelerar a obra não é uma boa opção. Caso etapas importantes da construção sejam atropeladas, há o risco de que o serviço não seja bem feito e necessite de reparos ou até mesmo refazer desde o início alguma área. Por isso, respire e confie nos profissionais contratados.


Ah! Muito cuidado com as áreas externas. Elas precisam de um revestimento de qualidade, por estarem em contato com sol, chuva, frio e calor a todo momento. Refazer uma pintura, por exemplo, é bastante caro. Caso você precise economizar, prefira revestimentos menos sofisticados, mas de alta qualidade. No longo prazo, isso faz uma enorme diferença.


Na mesma linha da tinta. Não adianta economizar. Há tintas bem baratinhas no mercado, porém, elas costumam ser bem líquidas e rendem pouquíssimo. Procure por produtos certificados, de qualidade e, principalmente, que sejam adequados para a área de aplicação, como ambientes externos, internos ou úmidos.


Por fim, os materiais que ficam dentro da parede também não devem ser economizados. Conduítes, cabeamento, tubulações, forros e impermeabilizantes precisam apresentar qualidade. Fazer a troca desses elementos é muito caro e gera um quebra-quebra enorme. Por isso, gaste no começo para não gastar depois.


É claro que é super difícil desprender um pouco mais de dinheiro, quando há opções mais baratas. Porém, é preciso analisar que algumas coisas, caso necessitem de reparos, sairão muito mais caras em poucos meses. Então, vale o esforço para deixar o imóvel pronto e livre de reformas por vários anos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *