Qualidade do material evita cortes e ferrugens na concertina

 

“O barato sai caro” é uma frase bastante antiga, mas que diz a verdade em 99% dos casos. Sempre que se deparar com produtos baratos, questione se ele realmente foi feito com as peças adequadas e com qualidade. Caso contrário, ele pode se desgastar rapidamente, exigindo manutenção ou até mesmo a troca total do mesmo.

Se isso vale para equipamentos mais “simples” do nosso dia a dia, como televisão, microondas, fogão, geladeira, computadores, smartphones, imagine no caso da concertina, que tem como função proteger o imóvel e aqueles que o frequentam.

Para evitar qualquer dor de cabeça ou falha no sistema de segurança, é ideal saber a procedência e como o produto que você está comprando foi fabricado.

A primeira coisa a se observar é a qualidade do arame usado para formar as espiras e os cabos estruturais. Eles devem ser feitos em aço galvalume, duro e de alta resistência para que não seja cortado facilmente com alicates. Pense que a concertina foi utilizada, a primeira vez, em barricadas militares.

Esse mesmo cuidado deve ser levado para a chapa cortante, que deve ser composta de 55% de alumínio, 43,5% de zinco e o restante por silício, como dita as normas ASTM A 792. Esse composto evita que a concertina enferruje.

Por último, verifique o tamanho das lâminas e das espiras para garantir que elas são compatíveis ao muro, portão ou alambrado em que será instalado e promovam a segurança adequada.

Seguir esses pontos pode ajudar você a driblar lojistas que vendem produtos de baixa qualidade.

3 Replies to “Qualidade do material evita cortes e ferrugens na concertina”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *