Teto branco é coisa do passado, a onda agora é usar e abusar das cores

As cores influenciam de forma direta na decoração de uma casa. Existem os que preferem tons mais neutros e os que optam por cores fortes e coloridas. Você sabia, por exemplo, que tons mais quentes passam a sensação de alegria e energia? 

E se em vez de investir nos tons amarelos, laranjas, rosas na parede, você os colocasse no teto. Não se assuste, essa não é uma ideia maluca do pessoal do Clic da Obra, mas sim uma das tendências para este ano.

Talvez você nunca tenha pensado nisso, mas agora deve estar se perguntando: como é que eu posso trazer isso para minha casa? Para te ajudar a entrar nessa tendência, listamos 5 dicas para não errar e escolher a cor certa para cada espaço.

Claro ou escuro?

Claro que iremos começar as dicas falando das cores, afinal, elas são a parte mais importante dessa lista. Se você prefere um teto com sensação de maior luminosidade e também altura, então a pedida é por tons claros. Já se a ideia é criar um ambiente mais aconchegante como uma sala de TV, opte por cores escuras como cinza escuro.

Se o teto é colorido as paredes são…

…neutras! É preciso atenção na hora de misturar as cores. Se optar pela pintura do teto com tons mais coloridos, é indicado amenizar e selecionar cores mais neutras nas paredes. Que tal a composição laranja com bege claro?

Se as paredes são coloridas o teto pode ser…

…colorido também! Apesar de parecer contrariar a dica acima, você pode sim optar por teto e paredes pintados da mesma cor. Só é preciso ter cuidado para não acabar ficando monótono demais. 

Dois em um

Pintar uma parede com a mesma cor do teto também é uma ótima opção. Ela é uma dica de ouro para quem deseja ter a sensação de continuidade em espaços como salas e quartos. 

Um diazão desse, um sofazinho novo…

A procura por um móvel pode ser exaustiva. São vários detalhes que necessitam de atenção e também de muita pesquisa. Você sabia, por exemplo, que além da quantidade de lugares e tamanho, um sofá também se difere pela densidade?

Pensando em facilitar a sua busca, nós trouxemos aqui algumas dicas pra você não errar na hora de comprar o móvel que é a peça chave da sua sala. 

Antes de tudo, é necessário saber exatamente a medida do seu espaço. Apesar de estarem descritos como sofás de dois, três ou quatro lugares, a diferença no tamanho pode atrapalhar os seus planos.

Existem, por exemplo, sofás de dois lugares que podem variar entre 1,80m até 2,60m. Por isso, atenção na medida. Depois disso, você pode começar a pensar em qual é o seu modelo preferido. 

Os tipos mais comuns encontrados no mercado são:

Tradicional Reto – Um clássico que nunca sai de moda e também um dos mais acessíveis. 

Retrátil e/ou reclinável – Para este tipo é necessário prestar muita atenção no espaço disponível. O modelo é muito confortável, está em alta e é perfeito para salas que são ao mesmo tempo de TV e também de estar. 

Formato L – Este sofá é indicado para quem quer aproveitar o canto. O formato, como o próprio nome já diz, forma uma letra L e faz com que o modelo otimize o espaço. 

Sofá-Cama – O clássico das casas de quem adora receber uma visita. Ele é como outro sofá, porém comporta uma cama dobrável, ou seja, de dia um modelo normal e, à noite, um espaço confortável para acomodar amigos e família.

Se você está na procura por conforto e durabilidade, é importante pesquisar a densidade do sofá. Na hora da compra, se atente a indicações como D28 e D33, por exemplo. Essa sigla representa a densidade da espuma e pode ser a peça chave para uma experiência mais agradável.

Normalmente a escolha deve ser feita de acordo com o quanto de peso o móvel suporta. Isso irá interferir também na durabilidade do produto. Por exemplo, um sofá com densidade D33, é indicado para pessoas com peso entre 71 kg e 100 kg. Os modelos D23 tem um preço bem mais baixo, porém pode se desgastar em menos tempo, suportando pesos de mais de 70 kg. 

As cores também podem interferir na composição da parte visual do seu ambiente. Se em espaço pequenos, opte por cores neutras, que dão a sensação de profundidade. Branco, bege, marfim e cinza claro são algumas delas. 

Se você gosta de tons mais fortes, aposte em tons quentes e neutros. Se você mora com crianças ou pets, os modelos de cor escura podem ser uma ótima opção para evitar manchas e esconder sujeiras. 

Por fim, para garantir a durabilidade do móvel, alguns cuidados não podem ser deixados de lado. Se possível, busque um serviço especializado para uma lavagem profunda a cada seis meses. A impermeabilização do sofá também ajudará a evitar danos.

No dia a dia, uma limpeza feita com aspirador de pó ou pano umedecido pode ser o suficiente. 

Boiserie da França para sua casa

A boiserie é uma técnica do século XVIII, que insere molduras na parede, trazendo mais elegância e charme para os ambientes. Podendo ser usado em basicamente qualquer cômodo, mas principalmente em quartos e salas, o revestimento é feito com madeira, gesso ou até cimento queimado.

A primeira opção é para os que gostam de deixar o espaço com estilo mais clássico. A madeira, apesar de exigir mais cuidados para conservação, é pintada da mesma cor da parede a qual foi instalada.

Se a prioridade é menor custo, sem deixar a qualidade de lado, então o gesso é uma ótima escolha. Com ele, é possível promover um espaço mais elegante, charmoso e até moderno, sem gastar muito. A escolha da cor também fica a critério de cada um.

Se o desejo for por um espaço mais moderno e cheio de estilo, opte pelo Boiserie feito com cimento queimado. Para um resultado mais eficiente, com um toque retrô e estiloso, faça a coloração da parede que irá receber a técnica com a mesma cor.

Existem diversos tutoriais de como instalar o Boiserie na internet. Com poucos materiais, é possível transformar o seu ambiente. Use e abuse da criatividade e das cores também.