3 erros que podem comprometer a sua reforma

Existem dois grupos de pessoas, as que evitam obras a todo custo e as que estão sempre modificando algo dentro de suas casas. Independente de qual lado você esteja, sabemos que é impossível passar muito tempo sem fazer alguma mudancinha em nossos lares.

Enquanto algumas são feitas de formas mais sutis, como uma mudança de móvel ou pintura na parede,  não necessitam de grandes obras, outras não conseguem fugir do temido quebra a quebra. 

Pensando nisso, nós do Clic separamos uma lista com alguns erros que podem comprometer o bom andamento da sua reforma. 

Falta de planejamento

Não tem como começar uma reforma sem antes planejar. Além de saber exatamente o que você necessita, é importante calcular possíveis custos com materiais e claro, mão de obra qualificada. Lembre-se que: o planejamento de hoje evita gastos desnecessários no futuro.

Focar apenas no visual e não na estrutura

Sabemos que para a maioria das pessoas, principalmente os leigos no assunto, o que mais importa é o visual e está aí um dos maiores erros. Isso porque não adianta investir todo o orçamento em uma casa linda, mas sem segurança e boa estrutura. 

Materiais sem qualidade
Todo mundo quer achar um jeitinho de economizar durante as obras, mas é preciso atenção. Não deixe de investir em materiais de qualidade e com aplicação adequada para cada ambiente. Evite, por exemplo, comprar pisos escorregadios para ambientes externos. Já imaginou o risco que ele pode se tornar em dias mais chuvosos?

Projetos para você fazer aí na sua casa

Sabemos que com as novas restrições causadas pelo novo coronavírus, muita gente terá que passar mais tempo em casa. Por que não aproveitar esse tempinho livre para fazer algumas transformações no seu lar?  

Pensando nisso, nós do Clic da Obra, selecionamos alguns dos melhores projetos DIY, ou em português “faça você mesmo”, para você fazer aí na sua casa. Afinal, não há melhor maneira de se distrair do que fazendo arte, literalmente. 

Em nossa lista, há ideias para todos os gostos, bolsos e claro, cômodos. Prontos para saber quais são eles?

Para paredes

Não poderíamos falar de projetos DIY sem começar pelas paredes. Com apenas um balde pequeno de tinta, é possível transformar uma parede sem graça, em uma obra de arte. Tudo o que você precisa é de boas ideias e liberar a criatividade.  Falando em ideias, para dar aquele ‘empurrãzinho’ que falta, selecionamos algumas:

Meia parede

A meia-parede é uma ótima opção para quem quer gastar pouco e inovar. Através dessa técnica, ao invés de uma face inteira, a pintura é feita dividindo o espaço na horizontal. 

Formatos geométricos

Para esse formato, você pode usar triângulos, losangos, quadrados, polígonos, entre outras formas. Use e abuse das cores! 

Stencil

O Stencil para parede é usado para aplicar um desenho ou ilustração em alguma superfície. Para sua aplicação, há a opção de usar tinta ou aerossol. 

Adesivos

Com adesivos, menos sujeira 

Não quer se aventurar com as tintas, o adesivo é uma ótima forma de mudar, sem fazer muita sujeira. A aplicação dos adesivos de parede é super fácil. Basta ter uma parede simples, branca de preferência, que o próprio adesivo já vem com a cola específica.

Pallets

Com os pallets as possibilidades são muitas! Já pensou, por exemplo, em criar um jardim vertical em casa para cultivar temperos, verduras e até ervas? Ou então usá-lo como base de sofá, cama e mesas. Dá até pra arriscar e fazer cabeceira de cama. 

PVC

Utilizados nas construções e reformas, as sobras destes canos podem se tornar diversos novos móveis e até peças de decoração. Com ele, é possível fazer adegas ou organizador de vinho, organizador de gaveta, estante de livros e araras para roupas.

Agora que já está com essas dicas todas em mente, que tal colocar o plano em prática e fazer aquela mudança legal na sua casa?

Por onde devo começar minha reforma?

Com a chegada do novo coronavírus a rotina de muita gente mudou. As casas que antes eram apenas um lugar de descanso, se tornaram escolas e espaços de trabalho. Foi neste momento então que, com mais tempo dentro de casa, as pessoas começaram a sentir a necessidade de mudanças.

Enquanto algumas desejam apenas uma transformação em uma parede, outras planejam quartos maiores, cozinhas mais espaçosas ou até algum móvel novo. Independente da mudança, sabemos que planejamento é essencial.

Antes de calcular os possíveis custos, é necessário saber o que você quer modificar. Após isso, você saberá se será necessário a ajuda de um profissional especializado, como um arquiteto e também conseguirá ter uma previsão de gastos. 

Depois de planejar essa primeira etapa, caso a necessidade seja de uma obra em toda casa,  chegou a hora de pensar por qual cômodo começar. Opte por iniciar por banheiros e cozinhas, dando preferência ao primeiro listado. Isso porque, além do banheiro estar mais sujeito a vazamentos e infiltrações, é possível modificá-lo sem mudar os demais ambientes da casa. 

Terminou esse primeiro? Ufa! Chegou a hora da cozinha. Neste espaço é indicado iniciar os trabalhos com demolições, se necessário, seguindo por instalações e por último, a acomodação dos móveis. Após isso, passe pela sala e por último, na área interna, os quartos. 

Apesar de cada obra ter um tempo de realização diferente, dependendo das escolhas dos donos, é calculado que o tempo aproximado para seja de 30 a 45 dias.

Chega de mofo! Chega de fungos!

Em um processo de construção, é necessário muito planejamento. Além de custos com mão de obra, máquinas e equipamentos, os gastos com materiais também têm que ser muito bem calculados. Não adianta economizar durante as obras e ter problemas no futuro, não é mesmo?

Na parte de estrutura, por exemplo, são fundamentais os sistemas de impermeabilidade. São eles que garantem a durabilidade e integridade das estruturas, que no decorrer do tempo podem ser danificadas.

Para evitar possíveis proliferação de fungos, mofos, descascamento e corrosões do vigamento das estruturas, são indicados alguns produtos para serem aplicados e agirem como uma camada protetora tanto nas áreas internas, quanto externas.

A membrana líquida ou mais popularmente conhecida como manta líquida impermeabilizante é um deles. Por ser um produto flexível, uma aplicação é feita de forma facilitada, utilizando trinchas ou rolos. Após colocado em lajes e coberturas, este produto forma uma camada de proteção que preserva as estruturas contra efeitos causados ​​pelas mudanças de tempo.  

Para aplicação do produto é necessário seguir o seguinte passo a passo:

Limpeza – A limpeza  da superfície é essencial para a boa execução de aplicação. 

Preparação – É fundamental que a superfície que irá receber a manta líquida esteja seca. Em casos de recém-concretagem, é indicado que o espaçamento seja de 15 dias.

Aplicação – A aplicação pode ser feita com auxílio de rolo ou trincha, conforme citamos acima. Normalmente, é indicado pelos fabricantes que o produto seja diluído em água, em proporção de 10%. Além disso, deve ser feito em mais de uma etapa.

Quer saber onde encontrar este produto? Acesse o site do Clic da Obra! 

A instalação da parte elétrica é uma das etapas mais importantes em uma construção ou reforma. É preciso não só contratar profissionais especializados, mas também materiais de qualidade. Uma boa instalação evita erros que podem colocar em risco a segurança dos futuros moradores e usuários do imóvel. 

Pensando nisso, selecionamos três dos erros mais comuns que podem comprometer a instalação elétrica. 

Sobrecarga 

Sabemos que em algumas casas, na maioria das vezes em apartamentos, há poucas tomadas. Isso faz com que o uso de aparelhos eletrônicos, como notebooks e telas adicionais, fique limitado. Para solucionar este problema, muitos moradores utilizam réguas e benjamins para multiplicar os pontos de acesso e é aí que mora o perigo. Com diversos equipamentos ligados em um só ponto, a chance de um curto circuito aumenta.

Além disso, o problema se estende também para torneiras elétricas, chuveiros e ar condicionados. Ou seja, com aparelhos mais potentes. A dica é: nunca utilize o mesmo disjuntor para circuitos diferentes! 

Falta do DR

O DR, diferencial residual, é um componente obrigatório. Ele garante a segurança dos moradores, evitando choques elétricos. Esse dispositivo é importante principalmente em áreas nas quais há risco de conterem água, como banheiro, cozinha, piscina. 

Não fazer manutenção da fiação elétrica

Não é preciso cuidar regularmente da fiação elétrica, porém, é indispensável atenção quanto a fios danificados, desgastados ou corroídos. Isso porque além de prejudicar o funcionamento do transporte de energia, ele também pode causar possíveis acidentes elétricos.

O que não pode faltar na minha obra?

Para que a execução de uma obra tenha sucesso, é preciso planejamento. Antes de começar uma construção é preciso procurar profissionais especializados, calcular possíveis custos diretos e indiretos e, claro, encontrar materiais de qualidade.

Falando em material, sabemos que essa etapa é uma das mais importantes e também mais difíceis na construção. Isso porque além dos preços variados, uma compra não planejada pode ocasionar gastos desnecessários.

Pensando nisso, nós do Clic da Obra, preparamos algumas dicas para você construir uma lista de materiais básicos para sua obra. Para começar, dividimos a obra em 4 etapas: estrutura, cobertura, alvenaria e acabamento.

Estrutura 

A primeira etapa não poderia ser outra.  É ela a responsável por suportar todo peso da construção e garantir a segurança dos futuros moradores do imóvel. Para essa fase, são indispensáveis materiais como: 

  • Pilar
  • Laje
  • Fundação
  • Viga

Alvenaria

A parte de alvenaria é dividida entre estrutural e convencional. A primeira, a estrutural, tem, como o próprio nome já diz, função estrutural, dispensando o uso de vigas e pilares na construção. Já a convencional,  que é mais comum no Brasil, tem somente a função de vedar os vãos das paredes.

Para esta etapa, os materiais indispensáveis são: Emboço, cimento, vergalhão, tijolos, areia, graute, caixas de luz, reboco, tubos de PVC

Cobertura

No Brasil, o tipo de cobertura mais utilizada é o clássico telhado cerâmico. Apesar de ser o mais popular, existem outras opções como: vidro, sape, madeira e concreto. Esse último, é um dos queridinhos do momento.

Adicione pregos, calhas, manta térmica, vigas à sua lista.  

Acabamento

Chegou o momento de escolher as peças que farão parte do acabamento. Para esta etapa, é importante ter em mente que os gastos serão maiores que as outras 3. Além disso, o tempo para finalização também é maior. Isso porque para a última etapa, é preciso a contratação de diversos profissionais como eletricistas, pintores, encanadores e cada um tem o seu tempo de processo. 

Na sua lista, inclua portas, interruptores, canos, pincéis, tintas, azulejos, janelas, entre outros. 

Depois de dividir as etapas e listar os materiais necessários, faça uma pesquisa antes da compra dos itens listados. No site do Clic da Obra, você poderá encontrar os materiais necessários para sua obra, com os melhores preços. 

Um diazão desse, um sofazinho novo…

A procura por um móvel pode ser exaustiva. São vários detalhes que necessitam de atenção e também de muita pesquisa. Você sabia, por exemplo, que além da quantidade de lugares e tamanho, um sofá também se difere pela densidade?

Pensando em facilitar a sua busca, nós trouxemos aqui algumas dicas pra você não errar na hora de comprar o móvel que é a peça chave da sua sala. 

Antes de tudo, é necessário saber exatamente a medida do seu espaço. Apesar de estarem descritos como sofás de dois, três ou quatro lugares, a diferença no tamanho pode atrapalhar os seus planos.

Existem, por exemplo, sofás de dois lugares que podem variar entre 1,80m até 2,60m. Por isso, atenção na medida. Depois disso, você pode começar a pensar em qual é o seu modelo preferido. 

Os tipos mais comuns encontrados no mercado são:

Tradicional Reto – Um clássico que nunca sai de moda e também um dos mais acessíveis. 

Retrátil e/ou reclinável – Para este tipo é necessário prestar muita atenção no espaço disponível. O modelo é muito confortável, está em alta e é perfeito para salas que são ao mesmo tempo de TV e também de estar. 

Formato L – Este sofá é indicado para quem quer aproveitar o canto. O formato, como o próprio nome já diz, forma uma letra L e faz com que o modelo otimize o espaço. 

Sofá-Cama – O clássico das casas de quem adora receber uma visita. Ele é como outro sofá, porém comporta uma cama dobrável, ou seja, de dia um modelo normal e, à noite, um espaço confortável para acomodar amigos e família.

Se você está na procura por conforto e durabilidade, é importante pesquisar a densidade do sofá. Na hora da compra, se atente a indicações como D28 e D33, por exemplo. Essa sigla representa a densidade da espuma e pode ser a peça chave para uma experiência mais agradável.

Normalmente a escolha deve ser feita de acordo com o quanto de peso o móvel suporta. Isso irá interferir também na durabilidade do produto. Por exemplo, um sofá com densidade D33, é indicado para pessoas com peso entre 71 kg e 100 kg. Os modelos D23 tem um preço bem mais baixo, porém pode se desgastar em menos tempo, suportando pesos de mais de 70 kg. 

As cores também podem interferir na composição da parte visual do seu ambiente. Se em espaço pequenos, opte por cores neutras, que dão a sensação de profundidade. Branco, bege, marfim e cinza claro são algumas delas. 

Se você gosta de tons mais fortes, aposte em tons quentes e neutros. Se você mora com crianças ou pets, os modelos de cor escura podem ser uma ótima opção para evitar manchas e esconder sujeiras. 

Por fim, para garantir a durabilidade do móvel, alguns cuidados não podem ser deixados de lado. Se possível, busque um serviço especializado para uma lavagem profunda a cada seis meses. A impermeabilização do sofá também ajudará a evitar danos.

No dia a dia, uma limpeza feita com aspirador de pó ou pano umedecido pode ser o suficiente. 

Com que cuba eu vou?

O mercado está cheio de novidades. Todos os dias são várias novas tendências lançadas e é quase impossível não deixar nenhuma delas passar sem ser notada. Um dos itens essenciais dos banheiros é também um dos objetos que estão sempre se modernizando.

As cubas são uma parte importante da casa e estão disponíveis em diversos tamanhos e cores. Cada peça tem um toque diferenciado, trazendo estilo, personalidade, charme e elegância para o ambiente.

São tantas opções que fica até difícil de escolher. Por isso, para te ajudar a sanar as dúvidas, trouxemos alguns modelos, que variam desde design e facilidade de instalação até preços.

Cubas de embutir

Começando por uma das mais tradicionais, a cuba de embutir é colada na parte de baixo da bancada. O item é conhecido pela fácil manutenção e limpeza. É importante observar, antes de adquirir uma, o tamanho do banheiro. Esse tipo exige uma bancada larga com área de fixação e ocupa um grande espaço, sendo recomendada então para banheiros maiores.

De apoio

Conhecida por sua funcionalidade, leveza e estilo, esse tipo de cuba é uma ótima opção para banheiros menores. Podendo ser encontrada em diversos formatos e designs, ela necessita apenas de um pequeno recorte para escoar água e deve ser colocada sobre a bancada

Semi-encaixe

Se o seu ambiente é mais estreito, vale optar pela cuba semi-encaixe. Nesse modelo uma parte do objeto fica para fora da bancada e a outra dentro.

Parede

O modelo mais econômico do mercado é a de parede. Além de serem de fácil instalação, sendo fixadas diretamente na parede, elas também são ótimas para espaços pequenos, como lavabos. 

Esculpida

Trazendo charme e elegância, a cuba esculpida é feita do mesmo material da bancada. Virando uma peça única, ela traz um visual mais sofisticado e clean para o ambiente. Para esse tipo, é recomendado que seja feito sob medida. Um dos pontos legais é que o recorte do ralo é quase invisível. 

Reforma de Móveis Antigos

Reforma nos Móveis Antigos | Clic da Obra

Recentemente, em nosso Blog, nós trouxemos uma postagem mostrando como você mesmo poderia construir uma mesa funcional, bonita e única, com poucos materiais e sem gastar muito dinheiro -aqui-.

Mas o legal da técnica DIY – faça você mesmo – é o fato dela valer para todos os móveis, seja na hora de criar algo novo, ou reformar um que não esteja tão bonito assim. Por isso, hoje vamos trazer algumas dicas em como dar um visual novo para aquela peça que você tanto gosta. Confira!

Continue reading “Reforma de Móveis Antigos”

Decoração com papel de parede

Que tal Mudar a Estética com Papel de Parede? | Clic da Obra

Realizar mudanças no visual de um imóvel nem sempre precisa de quebra-quebra ou investimentos astronômicos. Com um pouco de criatividade e um dinheirinho, é possível dar um novo ar aos cômodos. Um grande aliado nesta aventura é o papel de parede.

Antes de sair por aí comprando, é preciso realizar um planejamento. Portanto, o primeiro passo é saber a quantidade de material que será necessária comprar. Para isso, faça o cálculo da metragem linear de todas as paredes que serão revestidas, some a metragem da largura e multiplique pela metragem da altura. Desta forma você obtém a medida em metros quadrados.

Com esses números, é só ir a uma loja de confiança e comprar o papel. Porém, não se esqueça de perguntar ao vendedor qual a quantidade desperdiçada de papel em relação a perda estimada para combinação dos desenhos.

Isso é um fator muito importante, pois cada rolo do material tem seu desenho característico e, quando cortado, existe uma perda que deve ser considerada como desperdício para que haja novamente a combinação dos desenhos, podendo variar de acordo com a estampa.

Feito isso, se prepare para a instalação do papel. Deixe os equipamentos próximos, como escada, balde com um pouco de água, brocha, trena, tesoura, estilete, escova de pelo, esponja macia, espátula e um fio de prumo.

Lembre-se que a parede precisa estar em condições para receber a aplicação. Então, certifique-se que esteja limpa, seca, livre de rachaduras, imperfeições ou qualquer tipo de fissura que impeça a boa aderência do papel na parede.

A cola utilizada é própria e à base de água, devendo ser preparada previamente conforme as instruções do fabricante. É preciso aplicar uma camada no papel, outra na parede e aguardar alguns minutos para que ela seja bem absorvida.

Com este material, você consegue um revestimento muito bonito e versátil, com um preço baixo e que vai exigir pouca mão de obra para a sua aplicação. Além disso, possui diversos modelos no mercado que podem harmonizar com os mais diferentes móveis e cores.